sábado, 23 de outubro de 2010

O Salmista Asafe destrói a argumentação de Edir Macedo.

Renan Almeida

Existe uma doença alojada no seio da igreja há muito tempo e o nome de tal doença é apostasia. A apostasia é a manifestação da desgraça humana travestida de evangelho; É marcada por uma argumentação humanista e racionalista, um liberalismo teológico exarcebado, mas nenhum fruto útil. Todos os frutos produzidos pela apostasia parecem os verdadeiros, mas  internamente são ocos ou estragados. Muito do que hoje se chama de “movimento evangélico” nada mais é do que a representação de um sistema institucional falido decorrente do abandono das Escrituras.

Gostaria de pensar que atos proféticos, quebra de maldição hereditária, festas “Gospels” , paipostolicismo e patriarquismo fosse o fim do iceberg, mas se mostra como o começo. Eu poderia discorrer nesse meu texto acerca da teologia da prosperidade do Edir Macedo ou da teologia (teologia?) hitlerista de  tal homem, mas penso que isso seria quase que chutar um cachorro morto. Penso que, em alguns casos, é bom deixá-lo quieto, pois qualquer homem que use sua Bíblia para algo útil (e não como amuleto) e  tenha um QI maior superior ao tamanho do número do sapato que usa saberá que não se pode confiar no “Bispo”. Por que eu falei QI? Porque até um ateu que ouse ler a Bíblia saberá que Edir Macedo não se prende a princípios e conceitos cristãos.

Não quero discorrer acerca dos controvertidos temas citados anteriormente, nem mesmo da macumba gospel de tal homem... quero falar acerca da Justiça de Deus a partir da ótica de Edir Macedo. Há alguns dias, estive  a passear pelo blog desse senhor que se intitula, de forma pretensa, como Bispo evangélico e tive uma surpresa, me deparei com uma declaração, um desabafo no qual ele tentar argumentar, de certa forma, que Deus tem que abençoar os “homens santos”. Transcrevo abaixo o desabafo do Bispo (aff) e farei uma análise bíblica de tal desabafo.

"A título de argumento aos amigos e, especialmente, ao povo da Iurd gostaria de fazer algumas colocações interessantes.
Será que os que me acusam de aproveitador, vigarista e ladrão não gostariam de estar em meu lugar???...
Será que eles me acusam porque são honestos, íntegros, verdadeiros e santos?
E se a santidade deles é tão acentuada assim, por que não são tão abençoados por Deus como gostariam? Seria Deus injusto para com eles?
Que Deus é Esse que abençoa um “bandido” e amaldiçoa os certinhos?
Ou será que mesmo na integridade eles não conseguem sucesso porque são incompetentes?
E não seria tamanha incompetência a verdadeira razão da inveja?
Vale o pensamento de Theodore Roosevelt: Não é o crítico que conta: o crédito pertence ao homem que está realmente na arena, cujo rosto está sujo de poeira, suor e sangue; que se esforça corajosamente; que fracassa repetidas vezes, porque não há esforço sem obstáculos, mas que realmente se empenha para realizar as tarefas; que sabe o que é ter grande entusiasmo e grande devoção e que exaure suas forças numa causa digna; que no final descobre o triunfo das grandes realizações e, caso venha a fracassar, ao menos fracassa ousando muito, de forma que seu lugar nunca será junto às almas frias e tímidas que não conhecem nem a vitória nem a derrota."

Sinceramente, até eu  fiquei “tocado” pelo desabafo do Edir Macedo, mas.... a questão é: o desabafo dele encontra respaldo nas Escrituras Sagradas? Ele inicia sua postagem direcionando a mesma aos “amigos e ao povo da IURD”. Penso que tal atitude é muito interessante, uma vez que ambos os grupos, infelizmente, não gostam muito da Bíblia (toda regra tem exceção, obviamente), mas por que não direcionar aos apologistas e aos críticos? Será que esse pretenso bispo tem medo de os apologistas fazerem uma séria análise da postagem dele?

Logo depois ele questiona se os críticos dele,  que em sua maioria são apologistas, não gostariam de estar no seu  [dele] lugar. Boa pergunta! Nós apologistas devemos nos questionar se queremos ser extra-bíblicos, sincréticos, viver da venda de indulgências, apoiarmos o aborto e coisas desse tipo. Até o momento o Bispo falou, falou , falou e não prestou uma argumentação digna de nota. Você pode dizer que eu também não o fiz, mas não tenho motivos para o fazer, o salmista Asafe o fará. Espere  e você verá.

O Bispo segue questionando se os críticos dele o acusam por serem mais santos. Mais uma boa pergunta e que de tão  boa que é,  não deve ser deixada sem resposta. Nós, apologistas, não criticamos o pretenso bispo por inveja (pode ser que exista alguém que o faça, mas duvido muito), mas sim porque a Bíblia diz:
“Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; Não dado ao vinho, não espancador, NÃO COBIÇOSO DE TORPE GANÂNCIA, mas moderado, não contencioso, não avarento.” (I Tm 3:2,3).

O pretenso Bispo cumpre essa ordenança?  Será que alguém que tem uma casa no valor de R$ 6.000.000 em um país emergente não é ganancioso? Se ele é ganancioso, logo não pode ser um ministro, ou pode? A Bíblia prossegue:

“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.  Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, PRESUNÇOSOS, SOBERBOS, BLASFEMOS, desobedientes a pais e mães, ingratos, PROFANOS, SEM AFETO NATURAL, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, MAIS AMIGOS DOS DELEITES DO QUE AMIGOS DE DEUS, TENDO APARÊNCIA DE PIEDADE, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências;” (II Tm 3:1-6)

Me digam: Alguém que prega um falso evangelho não é blasfemo? Alguém que prega uma teologia que nunca foi ensinada por Cristo ou pelos apóstolos não é profano? Alguém que fala com a boca cheia que “ama falar sobre aborto” possui algum afeto natural? Alguém que coloca a pregação acerca de “ter bens materiais” acima da pregação da “salvação” é amigo de Deus? Alguém que fala para um pobre, que não tem nem o que comer direito, “dê o seu tudo” dizendo que Deus vai fazer o individuo enriquecer, sendo que essa promessa não se encontra na Bíblia, esse alguém é piedoso? Até aqui provei que Edir Macedo é desqualificado para ser um Bispo Evangélico, no entanto tem a segunda parte na qual o salmista Asafe continuará dizendo o que acha da argumentação de Edir Macedo.





Artigo publicado originalmente no blog Pelas Escrituras 23/10/10

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!