Soteriologia Reformada – Uma introdução

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Soteriologia Reformada – Uma introdução


Renan Wilkerson

Aqueles que se interessam pela história da igreja (primitiva, medieval e contemporânea) devem perceber que existem doutrinas bíblicas que em alguns momentos são esquecidas pelos mais diversos motivos e que tais doutrinas, muitas vezes, são ressuscitadas posteriormente. Há alguns anos eu jamais imaginaria que viria a ter contato com o Calvinismo, para falar a verdade, eu nem fazia ideia do que seria essa bela doutrina. É verdade que a doutrina calvinista ainda assombra muitas pessoas, muitos olham para tal doutrina com muita desconfiança, mas penso que é melhor olhar com desconfiança e estudar para depois aceitá-la do que aceitá-la sem uma análise aprofundada da situação (isso se aplica a qualquer doutrina).

Os mais diversos líderes, inclusive da Assembleia de Deus, meio que temem tal doutrina, tanto é que há algum tempo atrás, uma revista publicada pela CPAD tratando acerca da Soberania de Deus fez questão de tentar derrubar tal doutrina, no entanto sem sucesso. Apesar de toda essa preocupação de muito líderes, a verdade é que a mentalidade da população mundial está mudando, inclusive no Brasil. Os jovens estão se cansando do “evangelho” de oba-oba, do “evangelho” antropocêntrico e estão buscando os ensinamentos bíblicos acerca da soberania de Deus e isso nos leva, ainda que não queiramos, ao calvinismo. O Calvinismo é a crença de que Deus é soberano sobre absolutamente todas as coisas e faz tudo conforme lhe apraz.

Em minha pequena trajetória vi jovens e adultos pregando aberrações aos gritos, mas também vi crianças, jovens e adultos pregarem o evangelho  tal  como ele é. Acho incrível que há alguns dias as pessoas fariam de tudo para ouvirem os jargões “língua de aço, boca de ferro e queixo de concreto” pronunciados por alguns “super-pregadores” e hoje, tudo que querem é ler um sermão antigo e meditar nas antigas doutrinas que abalaram o mundo em tempos anteriores. Muitas pessoas têm gastado tempo lendo livros cristocêntricos tais como “A Escravidão da Vontade / Nascido Escravo” de Martinho Lutero ou as “Institutas” de João Calvino e isso é excelente.

À medida que leem livros de visão Reformada acerca da salvação, vão percebendo o quão equivocados estavam... percebem que a doutrina soteriológica que tem sido adotada é um arminianismo (estudaremos posteriormente), um humanismo erasmiano que, ainda que não queira, menospreza a Graça e centra o poder de decisão no próprio  homem quando a Bíblia não nos permite isso. A Bíblia nunca disse que o homem tinha que ser livre para ser responsável por seus atos.

Através da História, muitos dos grandes evangelistas, missionários e vigorosos teólogos sustentaram as preciosas doutrinas da graça, conhecidas como Calvinismo. Por exemplo, William Carey enfatizou solidamente a predestinação, mas não hesitou em chamar o homem ao arrependimento de seus pecados e a confiar em Cristo. A soberania de Deus e a responsabilidade do homem em crer na Palavra de Deus não são doutrinas absolutamente incompatíveis. Uma vez que os ensinos básicos do Calvinismo sejam corretamente compreendidos, o coração se aquece e a urgência de partilhar o Evangelho com outros torna-se quase irresistível. Burns, da China, M'Cheyne, Whitfield, Brainerd, Bonar, Lutero, Knox, Latimer, Tyndale, Rutherford, Bunyan, Goodwin, Owen, Watson, Watts, Newton, Hodge, Warfield e Pink são apenas uns poucos gigantes do púlpito, cujas pregações brilharam com a doutrina da graça soberana. Todos eles proclamaram um fervente amém às seguintes palavras de Spurgeon:

"Deleito-me em proclamar estas velhas e fortes doutrinas apelidadas de Calvinismo, porque são certa e seguramente a verdade revelada por Deus, como ela está em Jesus Cristo."

Quando paro para pensar acerca da doutrina da salvação e da soberania de Deus no contexto geral da existência humana,percebo que o arminianismo (doutrina do livre-arbítrio) tem alguns paradoxos. Como afirmam que Deus ama a todos igualmente e ao mesmo tempo reconhecem que alguns estão indo para o inferno (Rm 9:13)? Como afirmar que Deus é onipotente se o homem finito, na concepção arminiana, pode obstruir os desígnios de Deus (Sl 115:3)? Você sabe o que é justificação, fé, salvação, regeneração, eleição, perseverança, expiação? Então creio que está na hora de começarmos a aprender o que significam esses termos e similares, ao longo dessa série estaremos estudando isso.

Convido-te a, antes de considerar tal doutrina como heresia, estudá-la pacientemente... se tiver dúvidas faça questionamentos, mas compartilhemos juntos nossas dúvidas e conhecimentos. Cresçamos no conhecimento do Senhor, pois tal conhecimento produz vida em nós.




Artigo postado originalmente no blog Pelas Escrituras em 26/11/10

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!