segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Vi a lágrima dos que choram...

“Vi ainda todas as opressões que se fazem debaixo do sol; vi as lágrimas dos que foram oprimidos sem que ninguém os consolasse; vi a violência na mão dos opressores, sem que ninguém consolasse os oprimidos” (Ec 4:1)

Ando pelas ruas da minha cidade e vejo pessoas assistindo futebol em um bar. Eles sorriem, cantam, dançam ao som do péssimo Funk. Eles embrigam-se e marcam um sexo casual com alguma “cachorra”... marcar? para que marcar? atualmente basta chamar. Olho “enojado” e constrangido, passo por tais ruas como se o chão tivesse se retirado dos meus pés. Em frente a esse bar há uma igreja, nessa igreja muitos canta, pulam, giram, falam em línguas enquanto os pecadores cavam suas sepulturas e adentram o caminho do inferno e não há quem se importe com eles. Ora, por que eu me preocuparia com os impios se sou salvo? o homem que questiona isso deveria se perguntar “por que Deus se fez carne se habitava rodeado de glória?”.
São homens caídos? sim! imerecedores da Graça? sim e quem nessa terra a merece? Eles nasceram sem saber o dia em que nasceriam e morrerão sem que a morte peça permissão para executar sua função. Coração me dói, sei que somos responsáveis por essas pessoas, mas somos responsáveis em que medida? ora, tudo que vejo é uma missão que nos foi confiada e nossas atitudes demonstram incompetência espiritual e social.
Ando mais um pouco e poderei ver outras igrejas. Todas possuem um templo, seja simples ou suntuoso, mas todas tem algo em comum: “os membros estão dentro das 4 paredes”.  Não importa  o que o mundo faz, desde que os membros estejam dentro do templo “Adorando” a Deus. Deus não  nos retirou do mundo, mas nós nos retiramos dele. Viramos as costas para aqueles que ainda não foram alcançados e que “nunca” serão alcançados porque não há quem se disponha a pregar. Os apóstolos não tinham suntuosos templos, mas tinham uma mensagem viva e eficaz - temo que templos suntuosos possam ser símbolos de uma comunhão de irmãos medíocres.
Olho para alguma outra igreja e vejo “campanha da prosperidade”, continuo a observar e teremos a ‘campanha do desencapetamento total”; prossigo em minha busca e vejo uma placa “seminário de avivamento - 7 semanas”. Por favor, não me convidem para os eventos de “Deus”... A agenda desse “deus” anda meio fraquinha... Ele quer dar dinheiro, quer dar namorada pra todo mundo, quer trazer avivamento por 7 semanas e depois ele se retira... Esse “deus” quer tudo, menos que a igreja vá atrás dos perdidos.
Como a igreja irá atrás dos perdidos se ela mesma está perdida? está perdida em seus partidarismos; virou à esquerda quando devia seguir em frente; olhou para trás com saudades de Sodoma e Gomorra; sonha com os manjares do Egito e por isso se adapta; colaboram com o Rei de Tiro em seus planos e ideais e se esquecem que a piedade é uma excelente fonte de lucro, não para nosso bolso, mas para a eternidade. Passaram-se 2000 anos desde que Cristo proferiu a parábola do bom samaritano e os doutores da Lei (sejam ministros ou membros da sinagoga) permanecem sem compreender tão profundo ensinamento.
Esperam que o próximo seja o de sua denominação? não, pois ele passa anos sem saber pelo menos a data de aniversário do seu irmão na fé! Esperam que o próximo seja o de outra denominação? também não, pois um é de Paulo e o outro de Apolo e não sabem quem é Cristo. Esperam que o seu próximo seja seu pastor? talvez, desde que o pastor prometa que tal individuo será o segundo na hierarquia; Esperam que o próximo seja um “enviado” dos céus que use o título de apóstolo e anel no dedo? sim! esperam que o  próximo seja aquele que tenha ‘maior capacidade na presença de Deus” e esquecem-se que os maiores são aqueles que servem a mesa ou que se alimentam das pequenas migalhas que caem da mesa.
Vejo mães que choram por terem perdido seus filhos; meninas que choram por serem mal compreendidas em casa ou por terem tomado decisões erradas; jovens que são jogados ao vento porque transaram com suas namoradas e agora toda igreja o trata como lixo; garotas que choram por terem perdido seus pais em um acidente ou por terem sido assassinados por motivos futeis; vejo lágrimas silenciosas, lágrimas que se escondem por detrás de um sorriso... lágrimas que não são enxugadas porque ninguém se propõe a trazer consolo.
O que temos nós, enquanto cristãos, feito? temos deixado à humanidade o legado de nossa miséria, a miséria da amnésia, porque nos esquecemos de qual é a nossa missão. É inquestionável que o mundo possui uma forte cultura cristã, mas em meio a essa cultura existem vicios e incompreensões. Ser cristão não é conhecer o nome de Cristo ou viver em um país de tradição católica ou protestante... é viver os preceitos estabelecidos por Ele. Permita-me chamar de burro ao homem que diz que o Evangelho não é dogma. O Fim da Lei é Cristo, mas Cristo é o fim da lei porque Ele é o anti-tipo, a representação perfeita e plena da Lei [O tipo é simplista, o anti-tipo foi complexo; o tipo é sombra, o anti-tipo foi a luz em toda sua plenitude ], pois a lei era uma sombra imperfeita/simplista de quem Ele [Cristo] era, por mais paradoxal que isso seja. Se Ele é a Lei que foi entregue pelos homens e se Ele foi gravado em nossos corações, obviamente servir a ele implica em abandonar a tudo que desagrada ao coração do mesmo e seguir aos “dogmas” que Ele estabeleceu, sendo o maior destes o amor. O amor é o principal, mas o amor correto e jamais liberal, ou seja, até o amor deve passar pelo crivo da ortodoxia, o que nos leva a perceber que até o amor cristão deve seguir a regras.
Impressiono-me... temos certeza de tudo, menos de que temos que sair de nossa zona de conforto. Temos mais de 1000 ladrões que foram ordenados há poucos dias pelo ‘apóstolo” Renê Terra Nova. Chutarei o pau da barraca e ouso afirmar que se esses ladrões saissem de suas zonas de conforto e fossem para as favelas, para os centros de tráfico de droga e de prostituição para evangelizar (O verdadeiro Evangelho)... eu não me importaria se eles tivessem o título de “arcanjo”, no entanto, preferem prometer aquilo que Deus não prometeu; profetizam enganosamente aquilo que Deus jamais ordenou; falam em nome de Deus aquilo que Ele abomina... são ladrões e salteadores, lobos em pele de cordeiro para o qual o juízo está preparado.
Os homens que se sentem confortáveis com a situação que se vê atualmente deve abandonar o ministério, pois jamais foi chamado para tal.
Conta-nos a história de que um grupo chegou para o General Both do Exército da Salvação e disse que eles já tinham feito de tudo e que as pessoas não se convertiam e o General perguntou “vocês já experimentaram chorar?”. Chorar? por que chorar? hoje chora-se pelo carro tão desejado; chora-se para poder tocar no apóstolo ou receber uma toalhinha suada; chora-se em oração para que as contas sejam pagas enquanto o ‘vagabundo orador” está com preguiça de procurar um emprego... mas ainda chora-se por almas?
Me é dificil escutar uma garota dizer que cometeu 3 abortos; é dificil ver uma garota insinuar que deseja se matar porque está sofrendo com a dor da perda de um ente querido; é dificil e exige que choremos juntos, ainda que não sejam dos nossos arraiais. Algo muito raro é ver um cristãos se preocupar verdadeiramente com o problema de seu irmão na fé e coisa muito mais rara é ver um cristão chorar com os impios. Amemos, mas não apenas em palavras... aquilos que fazemos fala muito mais do que aquilo que falamos. Espero que tenhamos recebido das mãos do Eterno o lenço para secar lágrimas e não apenas a vara da correção. Se Deus é Pai (e sei que Ele é), Ele corrigirá e quando nos arrependermos, Ele nos enxugará a lágrima dos olhos e estejamos prontos para enxugar os olhos daqueles que precisam de nossas ajuda.

Renan Almeida, Um evangelista que espera consolar os oprimidos

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!